Quem Somos

Uma organização não governamental, de caráter cultural, educativo, assistencial, sem vínculo com qualquer religião ou partido político.

Como tudo começou

O movimento Se Essa Rua Fosse Minha (SER) surgiu em outubro de 1991. Idealizado pelo sociólogo Herbert de Souza, o Betinho, teve como objetivo inicial promover e apoiar ações socioeducativas para inclusão e garantia de direitos de meninos e meninas em situação de rua, além de lançar uma ampla campanha de mobilização da sociedade e do poder público em apoio a essa população.

Nas abordagens de rua, educadores sociais da instituição atuaram como observadores da linguagem corporal dessas crianças, adolescentes e jovens – em movimentos de brincadeiras, de convivência e de resistência às dificuldades confrontadas no seu cotidiano. "A rua era nosso ponto de partida. Ponto de encontros. Ponto de fazeres e saberes. Ponto de interrogações", relembrava o autor teatral e ativista social Cesar Marques.

Assim, nasceu a pioneira metodologia Circo Social que utiliza técnicas circenses para a construção de um diálogo pedagógico no contexto da educação popular e numa perspectiva de promoção da cidadania e de transformação social. No processo de criação dessa metodologia, a Se Essa Rua contou com a expertise da Intrépida Trupe. Atualmente, o Circo Social é adotado por diversas instituições no Brasil e exterior. A partir de 2004, a instituição ampliou suas atividades, incorporando o teatro e a dança, por exemplo, e passou a atender crianças, adolescentes e jovens que vivem em situação de vulnerabilidade social em comunidades.

Com o compromisso de "estender o arame, amparar a travessia e orientar o salto", a Se Essa Rua incentiva o protagonismo dos educandos e educandas, para que possam atuar em suas comunidades como multiplicadores dos saberes apreendidos.

A Linha do tempo reúne mais momentos marcantes de nossa história.

Linha do tempo

Antônio Cesar Marques da Silva, o Griot

Antonio Cesar Marques

(1955-2019)
Poeta, autor teatral e gestor cultural autodidata, Cesar Marques era um mestre da arte-educação. Esteve à frente da Se Essa Rua Fosse Minha desde a sua fundação pelo sociólogo Herbert de Souza, o Betinho, e consagrou-se como um dos principais protagonistas do circo social, metodologia de ensino/aprendizagem centrado no lúdico que, certa vez, assim descreveu: "Por questões éticas, étnicas e estéticas, os conteúdos basilares do circo social vão sendo construídos a partir de diálogos com os conhecimentos e protagonismo dos meninos e meninas sem ruas, se entrelaçando freirianamente com os conceitos circenses da Intrépida Trupe e de educação popular do Se Essa Rua Fosse Minha".

Cesar Marques era um griot nato – termo africano que designa os indivíduos responsáveis por preservar e compartilhar os conhecimentos, tradições e histórias de seu povo. Com esse compromisso, contribuiu para a formação de novos artistas, educadores sociais e multiplicadores capazes de transmitir seus ensinamentos às novas gerações.

Ativista social, ele lutou arduamente contra o racismo e pela garantia dos direitos de crianças, adolescentes e jovens. Em 2012, recebeu do jornal O Dia a medalha "Orgulho do Rio" por sua atuação social.

X

Herbert de Souza, o Betinho

Antonio Cesar Marques

(1955-2019)
O sociólogo e ativista dos direitos humanos foi um dos idealizadores e fundadores da ONG Se Essa Rua Fosse Minha. Viveu no exílio nos anos 1970 e tornou-se símbolo da campanha pela anistia política no Brasil por causa da música "O bêbado e o equilibrista" (Aldir Blanc e João Bosco), que em um de seus versos pedia a "volta do irmão do Henfil". O retorno ao país ocorreu em 1979 e, desde então, Betinho se engajou na luta contra a pobreza e as desigualdades.

No início dos anos 1980, foi um dos articuladores da Campanha Nacional pela Reforma Agrária e um dos fundadores do Instituto Brasileiro de Análises Sociais e Econômicas (IBASE), uma das organizações que integraram o projeto e lançamento da Se Essa Rua. Hemofílico, Betinho descobriu ter contraído o vírus da Aids numa transfusão de sangue e, em 1986, fundou a Associação Brasileira Interdisciplinar de Aids (Abia). Na década de 1990, liderou a Ação da Cidadania contra a Fome, a Miséria e pela Vida. A campanha contra a fome, como ficou popularmente conhecida, mobilizou a sociedade brasileira para a arrecadação e distribuição de alimentos à população carente.

Em 2012, sua história foi reconhecida pela Unesco como parte importante da memória mundial.

*Com informações do Ibase (https://ibase.br/pt/).

X